Quarta Igreja Presbiteriana de Suzano Igreje Presbiteriana do Brasil

Mensagens

Tempo de restauração

Indique para um amigo

Seu nome:
E-mail amigo:
Enviar
Data: 14/08/2014

Texto base: Salmo 126.4

 

“Você sabe o que é o Neguebe a que o salmista  referiu no texto do Salmo 126.4? O Neguebe não é um rio, também não é nome de homem, é a denominação de uma região desértica que fica no Sul da Palestina, abaixo da linha das cidades de Belém e Hebrom. Este lugar é amplamente árido e seco.

 

Mas porque o salmista pediu a Deus para restaurar a sua sorte como as torrentes no Neguebe? É que o salmista, conhecia bem esta região. Além de conhecer bem o Neguebe, ele conhecia também as variações climáticas e os efeitos destas para o Neguebe.

 

Durante a estação das chuvas ocorria algo muito especial com o Neguebe. Na Palestina as chuvas caem no período que vai do mês de outubro até o mês de abril, sendo que na segunda fase da estação caem as chuvas torrenciais ou chuvas serôdias como está mencionado na Bíblia. Com estas chuvas caindo na Palestina as águas gradativamente vinham escorrendo pelos montes até atingirem o deserto do Neguebe que ficava na região mais baixa. As águas abundantes formavam vários riachos que regavam o deserto e em poucos dias o lugar que antes era tão feio, solitário e sem vida ganhava outro aspecto. Os campos tornavam-se lindos, úmidos e floridos, coberto pelo verde da vegetação que ali era desenvolvida. A vida do lugar era restaurada. Os animais retornavam e a paisagem do ambiente tornava-se linda.

 

A oração do salmista, pedindo ao Senhor para restaurar a sua sorte como as torrentes no Neguebe, acontece certamente em um momento em que ele encontra-se em aflição, ele precisava ser restaurado também. Mesmo sendo ele o Rei escolhido segundo o coração de Deus para ocupar o trono de Israel, sua situação estava complicada, mas ele sabia que tal como o Neguebe que era restaurado pelas águas da Palestina, a sua sorte também seria restaurada pelo Senhor.

 

Conosco não é diferente, nós também passamos por tribulações em algum momento de nossa vida. Temos problemas dos mais diversos, lutamos contra adversidades, somos provados e experimentados, mas hoje podemos pedir ao Senhor para restaurar a nossa sorte como as torrentes no Neguebe, e certamente o Senhor vai fazer chover a chuva do Espírito sobre nós.

 

Jesus é fonte da água da vida, Ele mesmo disse; Quem crer em mim como diz as Escrituras; rios de água viva fluirão de seu interior. (Jo. 7:38). No Novo Testamento há exemplos importantes de pessoas que usufruíram a fonte da água da vida chamada Jesus Cristo. Eu vou relatar resumidamente 3 fatos que considero muito importantes para a igreja refletir; Primeiro o da mulher que há 12 anos era enferma e ficou curada ao tocar nas vestes de Jesus Cristo. O segundo fato é a ressurreição da filha de Jairo, estes dois primeiros fatos são referidos em Mt. 9.18-26. O terceiro fato está no capítulo 4 do Evangelho segundo João, e trata-se do dialogo entre Jesus e a Mulher Samaritana.

 

Jesus estava acompanhado por uma multidão, e uma mulher que há 12 anos estava enferma com uma hemorragia, e que já havia gastado todos os recursos financeiros que possuía com a enfermidade, determinou em seu coração que se tão somente conseguisse tocar na veste de Cristo ficaria curada. Muitos pressionavam a Jesus e dificultavam o acesso a Ele, mas a mulher conseguiu tocar. Logo Jesus percebeu o milagre, Ele jorrou virtude. Ele disse; alguém me tocou! Seus discípulos ficaram sem saber o que fazer, muitos estavam esbarrando neles. Mas Jesus explicou; De mim saiu virtude. Não está detalhado na Bíblia, mas imagino que eles perguntaram; Quem recebeu um milagre aqui agora? A mulher então se revelou;__Foi eu quem tocou no Senhor. Há 12 anos eu era doente, tinha uma hemorragia, e estou curada.

 

Trazendo para os nossos dias o dilema desta mulher e contrastando com a nossa realidade, podemos perceber que a situação dela era caótica; ela era uma mulher debilitada pela enfermidade, quem sabe já sem forças para realizar as atividades domésticas, pobres já sem recursos e não podia mais trabalhar. talvez a sociedade já a discriminasse, tratando-a como uma mendiga. Mas o reverso deste quadro foi o milagre extraído pela fé da fonte certa. A fonte que jorra água da vida.

 

Jairo era um dos principais da Sinagoga em Israel. Era homem de destaque para a comunidade. Sua filha veio a falecer, e ele foi procurar Jesus. Este talvez fora o seu primeiro contato com Cristo. Ele o recebeu e o atendeu. __Senhor a minha filha esta morta, mas se o Senhor for ter com ela, ela viverá. Jesus com três de seus discípulos foi até a casa de Jairo. Ao chegar ali encontrou um grande alvoroço e muito pranto. Jesus com discípulos que lhe acompanhava entrou no quarto que estava a menina. Ele tocou nela e lhe disse; Menina levanta, logo ela levantou-se e Ele a entregou para os pais. Posso imaginar a intensidade da alegria daquela família, mas o que proporcionou este milagre foi a fé de Jairo e a sua iniciativa em buscar a vida na fonte que jorra a vida abundante.

 

A mulher samaritana foi até o poço de Jacó buscar água para as necessidades domésticas de sua casa. Chegando no poço, um local público e coletivo, ela encontrou-se com Jesus, começaram a conversar e rapidamente ela já estava interessada em beber da água da vida que só Jesus pode dar. Jesus a pediu para buscar o seu marido, mas ela disse: Senhor eu não tenho marido, ele disse então; disseste bem pois, cinco maridos já tivestes e o que tens agora não é teu. A samaritana ficou admirada.__Senhor vejo que tu és um profeta. Ela imediatamente correu para a cidade e foi contar as novidades.

Esta mulher era um problema social, possuía um caráter deformado, e certamente era marginalizada na sua comunidade, mas ao encontrar a fonte que jorra a água da vida e ser regada pelo rio do Espírito, foi completamente transformada. É isto que Cristo quer fazer na sua vida, se estás no deserto, seja qual for a sua situação; problemas na família, problema na vida conjugal, sempre esta lhe faltando algo. Sua vida está seca você anda angustiado, abatido, deprimido não consegue produzir nenhum fruto na vida espiritual. Ë tempo de orar como o salmista, e ser restaurado pela chuva de Deus”.

 

O Deus que nós servimos “É O Deus Restaurador. Restaurou Sião, de tal forma que entre as nações o nome de Deus foi engrandecido, glorificado. Animados pelo Espírito Santo podemos em voz audível, auto e bom som, juntos bradarmos. Restaura, Senhor, a Nossa Sorte, como as torrente no Neguebe”. Deus, abençoe a todos nós

reverendo Saulo Monteiro