Quarta Igreja Presbiteriana de Suzano Igreje Presbiteriana do Brasil

Pastorais

Isso é para você!

Indique para um amigo

Seu nome:
E-mail amigo:
Enviar
Data: 04/04/2010

Reverendo Edvaldo Falseti

O problema com esse tipo de cristão infeliz é que ele não crê verdadeiramente nas Escrituras... Você diz: "Minha aflição é esse terrível pecado que cometi". Deixe-me dizer-lhe, em nome de Deus, que não é esse o seu problema. Seu problema é a incredulidade. Você não crê na Palavra de Deus. Estou me referindo à Primeira Epístola de João, primeiro capítulo, onde lemos o seguinte: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça”. É uma afirmação categórica... Não há limite para ela... Qualquer que seja o seu pecado - eis quão ampla é a afirmação - não importa o que ele seja; não importa o que foi, "se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça". Assim, se você não crê nessas palavras, e se você continua revivendo seu pecado, digo-lhe que você não está aceitando a Palavra de Deus, que você não está levando Deus a sério, que você não acredita no que Ele lhe fala - e esse é o seu verdadeiro pecado ''Ao que Deus purificou não consideres comum” (Atos 10.15)... É justamente isso que eu diria neste momento, a qualquer pessoa que porventura tenha si mantida presa em depressão, pelo diabo, por dado número de anos, com relação a algum pecado específico... Não me importa qual seja esse pecado. "O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado" e de toda a injustiça.  Amigo, creia na Palavra que vem da parte de Deus ... Creia na Palavra de Deus. Não Lhe peça mensagem de perdão. Ele já lhe deu essa mensagem. Nesse ponto, a sua oração pode bem ser uma expressão de incredulidade. Creia nEle e em Sua Palavra.